terça-feira, 10 de julho de 2007

De onde vem?

Me irrita profundamente quando consideram um ato de coragem a ação da polícia do Rio de Janeiro no Complexo do Alemão, para combate ao tráfico de drogas. Eu sempre me posicionei contra a legalização de drogas. Mas, se é proibido a policia tem que coibir. E se a policia coibe, mata mais com seus tiros de fuzis do que qualquer outra droga traficada nos morros (que matam os dependentes e destroem com tudo a sua volta).

Na Flip, Paulo Lins (Cidade de Deus)lembrou que, com ou sem a ação da polícia, a guerra nas favelas cariocas é uma constante. Comando Vermelho e Terceiro Comando estão em guerra há 25 anos no Vigário Geral, disputando o comando do trafico no Rio.

E como em um conto tragicomico, a guerra começou em uma partida de futebol entre os grupos. O jogador se preparava para bater o penalti. Atiram no goleiro. Ele cai. A bola entra. É gol.

Algo deve ser feito, não há como negar. Mas as ações da policia, só parecem ampliar essa guerra, em que morre inocentes, trabalhadores, famílias inteiras, além de bandidos e policiais.

Uma ação corajosa seria coibir a entrada das armas e drogas nas favelas. E não a saída delas. O que Paulo Lins perguntou foi de onde vem? Por que a Polícia Federal, tão admirada ultimamente, não tem operações efetivas a esse respeito?

O Brasil não produz armas, tampouco as drogas pesadas. Essa seria a pergunta e ação bem mais inteligente, efetiva, e justa, do que atingir o caminho inverso, da droga saindo do morro.

Um comentário:

Francini Barbosa disse...

Não vou afirmar porque não quero ser processada, mas dizem que as armas produzidas no Brasil vão pro Paraguai e voltam.
Não sei quem pode pensar em algo tão absurdo, rsrs...