terça-feira, 23 de maio de 2006

Medo!

Procura-se os culpados? Quem procura os inocentes. Depois de tanto terror, a galera dos apês tava com sangue nos olhos, desejo de vingança. "Tem de matar tudo" - ouvi um monte de vezes na segunda do terror. Então, serviço feito. Se é sangue que os que pagam impostos querem, é sangue que vão ter. O que importa são os números.
O pior que chamam Coronel Ubiratã, Fleury, Maluf, tudo pra comentar o caso, pra incitar ainda mais o ódio da população. Tenho medo de que o nazismo impere, se é que já não impera.
Quando se mata polícia, é fácil apurar se eram mesmo policiais, eles tem carteirinha e tudo. Bandido não tem crachá de bandido. E aí?
Segue o alerta feito no blog do Ferrez, escritor que não defende bandido, defende Capão Redondo. Mas, convido a todos que entrem em seu blog e vejam os comentários recebidos. (www.ferrez.blogspot.com)

A Policia Militar e a Policia Civil afetados com a onda de matança, estão fazendo da nossa periferia um estado prá lá de nazista, já são mais de 100 "suspeitos" assassinados, e nenhum deles é PCC.
Só de colegas, foram mortos 4, isso pra não contar os que estão no hospital.
nenhum deles tinha passagem, por isso apelo para que divulguem a real de que o acordo não foi feito com o povo, o povo tá morrendo, sendo baleado pelas costas, ao entregar pizza, ao voltar para casa.
a policia covarde, treme perante o olhar do ladrão, mas mata sem dó quem está simplismente voltando para casa.
isso é uma vergonha, e se é o trabalho deles, tá na hora dagente fazer o nosso, reagir com cidadania, mostrando que não queremos essa matança.
LEI MARCIAL PARA POBRES INOCENTES FOI DECRETADA.
Ferréz

Um comentário:

Francini Barbosa disse...

Oi Mi!

O mais revoltante é a ouvidoria da polícia dizendo que estão investigando os "grupos de extermínio" que teriam matado esses inocentes. É um imenso cinismo negar que muitas mortes provavelmente ocorreram por ação de policiais FARDADOS, em horário de serviço. Não seria a primeira vez.

Durante a semana dos ataques ouvi muita gente falar que a culpa era do "pessoal dos direitos humanos" que defende os presos. Ano de eleição, nada mais fácil e conveniente do que colocar o Estado como vítima, e transformar qualquer voz contrária em vilã...

Bjocas!