domingo, 2 de setembro de 2007

Cidade colorida

Eu disse para a jovem polonesa que estava curiosa para conhecer o Brasil e São Paulo que eu não gostava da cidade, porque aqui tudo é cinza. Me arrependi. Fomos ao Parque do Ibirapuera e ela se encantou com o coco verde gelado. Realmente, a natureza me pareceu ainda mais perfeita por já colocar água doce no potinho pra gente se refrescar.

Depois, o dia estava lindamente ensolarado e deixava mais vivo o verde das árvores tão diferentes das que ela costuma ver na Polônia. E ainda enfeitavam o parque muitas crianças, cachorros e pessoas atléticas que corriam de roupas coloridas, ou andavam em bicicletas românticas de dois lugares. Tudo muito vivo e com museus ao redor.

Mas o melhor foi almoçar no Mercado Municipal, um dos lugares que mais gosto na minha cidade. E não dá pra dizer que aquilo é cinza, com seus lindos vitrais e a exuberância de cada barraca de frutas, doces, queijos, peixes gigantes, sacos de cereais de encher os olhos. Além da variedade, suculência e da frescura dos produtos, ainda a gente tem um atendimento único, mais pessoal, dando uma provadinha nas frutas e com aquela gritaria pra chamar cliente. Ai, como gosto desse lugar pulsante. Modeletes sem carne e sal nem sabem como é bom beliscar os queijos e goiabadas do Mercadão. Além é claro, do tão famoso e gox-to-so (como a Polonesa aprendeu a falar) sanduíche de mortadela com um choppinho gelado. A combinação de cores e sabores perfeita.

Na última semana, também “ciceronei” um rapaz de Nova Odessa, cidade da região de Campinas, que nunca tinha vindo a São Paulo. Thiago tem 20 anos e ficou boquiaberto, até chacoalhava o amigo ao ver a cidade a noite: o metrô, a Av. Paulista, a Av. 23 de Maio, o Parque Ibirapuera, o Masp. Ele só tinha visto essas coisas da TV. E pedia pra ir até a janela do alto do prédio espiar mais um pouquinho. “Maié linda demais essa cidade! É outro mundo que tô conhecendo hoje”.

Eu posso até discordar, mas o fato é que a grandiosidade dessas avenidas impressionam mesmo. Eu que me acostumo e esqueço de ser estrangeira na minha cidade de vez em quando.

Um comentário:

Francini Barbosa disse...

tá vendooooooooo como vc reclama à toa?

Aceita o cinza e o caos... eles fazem parte de você.