sábado, 5 de abril de 2008

Meu partido é um coração partido

Volto do bar com ombros caídos e pouca bebida ingerida. É sexta-feira a noite e ninguém no msn. Eu em casa, sozinha, carente, me sentindo um tanto fracassada e um tanto mesquinha por estar com pena de mim e sem nada mais nobre pra pensar.

Ontem, foi aniversário dele. Ele que era o mais bonito, desejado em todas as boates. O mais genial da turma, o mais querido. Ele que era rei, sem precisar governar. Pois logo ele é que me entende tão bem.

Ele disse desavergonhadamente que é fracassado, carente, meio puto, que amar é brega, e que nem sabe amar. Ele não cantou um amor nobre, cantou o amor meio sujinho, que esfrega a perna por debaixo da mesa pra depois ganhar cafuné. Adoro tudo isso que ele disse com voz rouca e tom sarcástico. Adoro as coisas que ele contava que só se conta pra si, não se assume em roda de bar.

“Meus amigos estão dormindo
Ninguém me telefona
Porque domingo é o
Dia mais triste de
Todos os tempos
Porque não tem sol” (domingo)


“Eu sou um cara
Cansado de correr
Na direção contrária
Sem pódio de chegada
ou beijo de namorada” (O tempo não pára)


“Os meus sonhos
Foram todos vendidos
Tão barato
Que eu nem acredito” (ideologia)


“Mas eu tenho a impressão
Que todos nós somos fracassados
Eu, por exemplo: não amo...” (fracasso)


“Da privada eu vou dar com a minha cara
De panaca pintada no espelho
E me lembrar, sorrindo, que o banheiro
É a igreja de todos os bêbados
Eu ando tão down” (eu ando tao down)


“Estou tão só
Meus pais não me conhecem
Meus amigos são chatos
Meu cachorro não me lambe
Mas eu quero alguém
Quero alguém” (eu quero alguém)


“O teu amor é uma mentira
Que a minha vaidade quer” (O nosso amor a gente inventa)


“O amor é brega
Eu quero um” (o amor é brega)

2 comentários:

Fábio disse...

Lamentável mesmo o meu esquecimento do aniversário do Cazuza. Seria uma escolha bem mais legal de música da semana. Humpf.

Valeu a lembrança, viu? Adorei o post!

Whistler disse...

Lindo post. Lindo e triste!