quarta-feira, 6 de maio de 2009

Família alternativa

Seria uma boa história para ter contato no meu radiodocumentário que fiz para o TCC na Faculdade de Jornalismo sobre Famílias Alternaltivas. Me arrepiei ao ler a matéria. Bonita e curiosa história.


"Munira Khalil El Ourra não vai dar à luz, mas é mãe de duas crianças que vão nascer até a primeira semana de maio. Quem está na 31ª semana de gestação é sua companheira, Adriana Tito Maciel. A barriga é de Adriana. Os óvulos fecundados que grudaram no útero dela pertenciam a Munira. Os bebês já têm nome: Eduardo e Ana Luísa. Serão paridos e amamentados por Adriana, de pele marrom e cabelo que nasce crespo. Mas terão a cara de Munira, branquinha e de cabelo liso.

Para a lei, mãe biológica é quem carrega a criança no ventre. Mas um exame de DNA mostraria o contrário. Nem Adriana nem Munira pretendem disputar na Justiça a guarda das crianças. O que elas querem é sair da maternidade juntas, com um documento que permita registrar as crianças no cartório com o sobrenome de cada uma e o nome das duas mães na certidão de nascimento. Como qualquer família normal".

Mais na Época - aqui

Obs: Os gêmeos já nasceram e Munira teve direito à licença maternidade de 4 meses, mesmo sem amamentar e gerir as crianças.

3 comentários:

Fábio disse...

Ei, o Destak tambéu deu a matéria! Bem mais curtinha, mas deu!

;)

ANDRÉ MANS disse...

que seja uma mudança de comportamento mesmo... o mundo precisa reagir em benificio dos que só querem ser felizes.

JudsonSales disse...

Pronto, achei um defeito!!!!

Eu podia fazer comentários politicamente incorretos!!!

Hoje não tenho mais ninguém que me ouça sem fazer cara de reprovação.