terça-feira, 6 de maio de 2008

Paternalismo

Há um mês fui a quadra da escola de samba Império da Casa Verde, em São Paulo. O local parece um templo de devoção ao bicheiro. Ao lado do palco um parede inteira era pintada com fotos e dedicatória a Chico Ronda, bicheiro e fundador da escola, assassinado em 2003. A escola é a mais rica de São Paulo, já sendo bicampeã em apenas 14 anos de história.

Não bastasse a parede, no centro da quadra, bem no topo, há uma estrela em neon azul com a foto do mesmo ex-presidente no meio. Lembrava até uma cupula de igreja. Pois é, o bicheiro é praticamente um santo.

É impressionante como há a necessidade de criar entidades protetoras e superiores sejam lá quem forem. Vide o "Nosso Paizão Romulo Costa" como é citado a todo momento no baile funk. Esse então nem no céu está e se enche de dinheiro organizando bailes funk. Ele recebe prece por levar o circo ao morro. E salve Romulo Costa.

3 comentários:

Fábio disse...

Que medo... E é uma pena que isso seja cada vez mais comum no Carnaval de SP e do RJ, né? A Beija-Flor e a Mangueira que o digam.

Judson disse...

Cara jornalista, suas fontes estão desatualizadas.

Chico Ronda morreu antes mesmo do Bi Campeonato. Se não me engano, a escola ainda era do grupo de acesso (mas essa última informação está a confirmar).

O Enredo do Bi-Campeonato citava ele, que "Ao lado de Deus, se faz presente na avenida.".

Lena disse...

Judson, post alterado.