sexta-feira, 18 de julho de 2008

Viveu e morreu do coração

Ontem, assisti ao Por Toda Minha Vida - tele biografia da Globo, apresentado por Fernanda Lima. A homenageada foi Dolores Duran, por quem já tinha paixão pelo repertório e voz. Descobri que a história dela é um encanto também. Se ela vivesse hoje, já seria considerada moderna. Nos anos 50, ela era no mínimo a frente de seu tempo. Além da voz fascinante, ela ainda foi letrista de músicas doTom Jobim e João Donato (com o qual namorou). Tom até dispensou uma letra do Vinicius, depois que tocou no piano uma música e ela com o lápis de olho escreveu instantaneamente a "Por causa de você".

Dolores era mulata, suburbana, não terminou o ginásio, e sofria do coração desde a infância. Por conta da doença, viveu intensamente, pois sempre sabia que a morte chegaria cedo, como chegou. Era considerada namoradeira e dizia que sem amar, ela nem respirava. Fumava, bebia e só voltava pra casa pela manhã. Ficou grávida sem casar e só aceitou o pedido de casamento após um aborto espontaneo. Disse adeus ao marido, ao não retornar de uma turnê, decidindo conhecer a Europa sozinha (e compôs Fim de Caso pra ele se tocar). Quase no fim da vida, adotou uma criança negra, que decidiu criar sozinha. Talvez tenha sido a mais moderna e a mais romântica das mulheres, se pensarmos em suas canções e na intensidade que as cantava.

O programa mostrou recortes de jornais da época da sua morte. "Viveu e morreu do coração", dizia um deles. Taí um obituário bonito de se ter.

A noite do meu bem (umas das minhas músicas favoritas)

Hoje eu quero a rosa mais linda que houver
Quero a primeira estrela que vier
Para enfeitar a noite do meu bem
Hoje eu quero a paz de criança dormindo
Quero o abandono de flores se abrindo
Para enfeitar a noite do meu bem
Quero a alegria de um barco voltando
Quero a ternura de mãos se encontrando
Para enfeitar a noite do meu bem
Hoje eu quero o amor, o amor mais profundo
Eu quero toda beleza do mundo
Para enfeitar a noite do meu bem
Mas como este bem demorou a chegar
Eu já nem sei se terei no olhar
Toda ternura que eu quero lhe dar

Um comentário:

Fábio disse...

Eu vi que estava passando ontem, mas não agüentei e dormi. Humpf.