domingo, 7 de setembro de 2008

A vida como ela é II


Para mim, o personagem mais interessante do filme "Linha de Passe"é Reginaldo. É esperto e engraçado, mas briguento e cheio de raiva por ser o "neguinho", caçula, e não conhecer o pai. Diferente dos outros personagens, ele não nasceu de estatísticas, mas de uma notícia de jornal.

Um garoto de 14 anos vivia procurando o pai nos coletivos, até que aprendeu a dirigir. Um dia ele entrou na garagem e saiu com o ônibus por três horas, até ser preso. Passou 24 horas na Febem, e depois que foi solto, roubou mais 30 ônibus até fazer 18 anos. Hoje ele é mecânico.

2 comentários:

Francini Barbosa disse...

Eu gostei bastante do filme, sempre acho que a Daniela Thomas segura o Walter Salles p/ ele não pesar a mão (ele mesmo diz isso)

Mas a atuação que mais gostei foi do Vinícius Oliveira, achei impressionante. Pena que ele diz que não quer mais atuar, morre de vergonha.

bjocas

Milena disse...

Ele vai fazer cinema. Acho que será bem talentoso na nova carreira também.

Tava vendo uma crítica do Daniel Piza do Estadao bem legal. Dizendo que ele não pesou a mão nos personagens da "ZL", mas pesou na mão deixando a classe média com cara de vilã - o assaltado, a patroa, o pessoal do condominio, o dono do posto. Se deixou um lado acizentado, porque foi tão preto no branco de outro. Tem razão, o Piza. Não tinha pensado nisso.